terça-feira, 16 de dezembro de 2008

Público.pt ganha prémio de excelência em ciberjornalismo

Dossiê "Prostituição no Porto" do JPN vence o galardão Ciberjornalismo Académico.

O Observatório de Ciberjornalismo da Universidade do Porto distinguiu esta sexta-feira o que de melhor Portugal produz no jornalismo online. O júri atribuiu ao Público.pt o prémio "Excelência Geral em Ciberjornalismo".

O dossiê "Prostituição no Porto", da autoria de Bárbara Oliveira e Marisa Pinho, publicado no JPN, venceu na categoria Ciberjornalismo Académico.

Os prémios foram atribuídos pelo Obciber, o Observatório de Ciberjornalismo do Centro de Estudos das Tecnologias e Ciências da Comunicação, das universidades do Porto e de Aveiro.

Lista completa dos Vencedores:

Excelência geral em ciberjornalismo:
jornal «Público» (prémio da exclusiva responsabilidade do júri);

- Breaking News:
jornal «Público» com o assalto ao BES;

- Reportagem Multimédia:
«Jornal de Notícias» com a reportagem «A Morte Lenta do Gelo Eterno»;

- Videojornalismo:
PortugalDiário com «O Lugar onde o morto matou o vivo»;

- Infografia digital:
jornal «Sol» com infografia sobre o assalto ao BES;

- Ciberjornalismo académico:
JornalismoPortoNet com «Prostituição no Porto».

JPN

"Não existe jornalismo do cidadão", defende professor João Canavilhas


Professor da UBI encerrou o primeiro dia do I Congresso Internacional de Ciberjornalismo.

A expressão "jornalismo do cidadão" adoptada pela maioria dos órgãos de comunicação social "é ridícula", defende João Canavilhas, professor da Universidade da Beira Interior e jornalista. O investigador prefere chamar-lhe "participações do cidadão" e não vê diferenças entre elas e as tradicionais cartas dos leitores para que se justifique o rótulo "jornalismo do cidadão".

No final do primeiro dia do I Congresso Internacional de Ciberjornalismo, Canavilhas defendeu a necessidade de uma nova linguagem e uma adaptação a este novo meio que é a Internet. A grande maioria dos vídeos que são publicados nos jornais online não seguem "a linguagem online, são apenas a adaptação das outras linguagens a esta”.

Segundo o autor, as características da Internet trazem consequências para o jornalismo, mas também para o jornalista. Se, por um lado, os media online têm de responder à ânsia de informação por parte dos leitores, que "querem saber cada vez mais sobre os mais variados temas", vão existir jornalistas a trabalhar para várias plataformas e com várias tarefas ao mesmo tempo.

Estas novas actividades do jornalista vão conduzir também a uma maior autonomia do profissional da comunicação. Surgem novas linguagens informáticas e diversos percursos de leitura.

Na opinião de Canavilhas, "os jovens lêem cada vez menos" e o jornalista deve estar preparado para produzir conteúdos para novos suportes, como os telemóveis ou as consolas portáteis.

JPN

"A imprensa não vai desaparecer", prevê Rámon Salaverría




Convergência foi a palavra de ordem no primeiro dia do I Congresso Internacional de Ciberjornalismo.


A convergência nos meios de comunicação no contexto actual da Internet é já uma realidade em quase todo o mundo, mas os resultados da integração não são, para já, visíveis. A opinião foi expressa por Rámon Salaverría, jornalista e professor da Faculdade de Comunicação da Universidade de Navarra, esta quinta-feira, no primeiro dia do I Congresso Internacional de Ciberjornalismo.
Na apresentação "Uno para todos y todos para uno? Los medios de comunicación ante la convergencia digital", Rámon Salaverría disse que convergência é "um fenómeno tendencial, um processo dinâmico", enquanto "a integração é um dos seus eventuais resultados".
"Não há uma convergência empresarial, mas parece que ela tem que existir junto dos jornalistas", criticou.

Segundo o investigador, a Internet surge como um meio capaz de integrar a imprensa, a rádio e a televisão. Esta inevitabilidade não passa pela "morte do papel". "A imprensa, como media, não vai desaparecer", mas vai perder a sua hegemonia, previu.

Para Salaverría, o importante não é o suporte, mas sim aproveitar todas as possibilidades do meio. "O jornalista é aquele que se dedica a informar e não aquele que escreve em jornais", disse, que sublinha também a tendência de produção de texto, imagem, infografia e vídeo por uma mesma redacção.

JPN

sábado, 29 de novembro de 2008

Porque a justiça funciona...


´O “saco azul” voltou à mesa dos portugueses. Fátima Felgueiras, menos morena do que quando regressou do Brasil, foi condenada a 3 anos e 3 meses de prisão com pena suspensa e perda do mandato de presidente. Na verdade, também esta última pena é suspensa…enquanto o tribunal decide sobre o recurso que a ainda presidente da Câmara Municipal de Felgueiras apresentou, a autarca continua no poder e prepara-se para ganhar as próximas eleições, claro, com maioria absoluta. Da sentença, Fátima Felgueiras tirou uma lição: não era necessário ter fugido para o Brasil durante dois anos e gastar, fugindo à regra, dinheiro do seu próprio “saco”. Poderia ter continuado a governar o povo que tanto a ama. Afinal, o máximo que lhe poderia acontecer era uma pena suspensa e ninguém procura exílio por crimes que não são punidos com pena efectiva.
Ainda assim nem tudo foi em vão. Além de óptimas tardes de praia com muito samba e caipirinha à mistura, com o estagio que fez no Brasil, em Fevereiro, a autarca poderá vir a ser a próxima rainha do carnaval da Madeira, ao lado de Alberto João Jardim, rei do carnaval e do povo madeirense, tanto quanto Fátima Felgueiras é a diva do povo de Felgueiras.
“A justiça funciona”. Palavras da autarca. Valha-nos isso! Somos humilhados ao perder por 6-2 com o Brasil, os bancos abrem falência, vivemos uma profunda crise económica, mas a justiça funciona! Melhor dizendo, a revisão do Código Penal funciona e serviu muito os interesses da autarca. Se o julgamento tivesse ocorrido antes de Setembro de 2007, Fátima Felgueiras teria cumprido pena na prisão. É que até ao ano passado só podiam ser suspensas as penas de prisão inferiores a três anos, mas o diploma aprovado pela Assembleia da República elevou até cinco anos o limite das sanções que podem ser suspensas. Querendo mostrar a todos os portugueses a eficácia da justiça portuguesa, Fátima “Vedeta” Felgueiras deu uma conferência de imprensa logo após a leitura da sentença como se de uma inocente se tratasse.
O juiz-presidente considerou que grande parte dos factos foi provada, que houve entregas de dinheiro na conta paralela do PS e que os pagamentos efectuados pela Câmara Municipal de Felgueiras à empresa Resin foram baseados em concursos e contratos simulados. Ainda assim, o colectivo de juízes entendeu que a acusação não conseguiu provar que daquelas situações tivesse resultado um efectivo prejuízo para o município. Sim, a justiça funciona!

sexta-feira, 28 de novembro de 2008

Medo do escuro...

"Quando somos pequenos a noite é assustadora porque há monstros escondidos debaixo da cama. Quando crescemos os monstros são diferentes...
Dúvida.
Solidão.
Arrependimento.

Embora cresçamos e nos tornemos mais inteligentes, ainda temos medo do escuro.

Dormir. É a coisa mais simples de fazer. Apenas...fechamos os olhos. Mas, para muito de nós o sono parece estar fora de alcance. Queremos, mas não sabemos como o conseguir. Mas quando enfrentamos os nossos fantasmas, enfrentamos os nossos medos e pedimos ajuda, a noite não é assim tão assustadora porque percebemos que não estamos sozinhos no escuro".



in Grey's Anatomy
Temporada5, Episódio 9 ("In the midnight hour")

terça-feira, 25 de novembro de 2008

Slimmy @ Pitch

Este Sábado regressei às saídas à noite com a Pipa. a "Alta Baixa:1 noite 3 casas" levou-nos até ao Pitch para ver o concerto de Slimmy.

A qualidade do vídeo não é a melhor, a Pipa a cantar também não é das coisas mais bonitas....mas é o que temos!!!!!:D
video

quinta-feira, 13 de novembro de 2008

Segundinhos de tortura XII


REJUBILEM!!!!Os segundinhos de tortura estão de volta......:D :D :D


Sei k tavam cheios de saudades das piadas super secas k vou ouvindo.... tenho andado ocupada, mas agora aqui estou eu para partilhar mais algumas gargalhadas...ou então não...



O que tem duas pernas e deita muito sangue?
- Meio cão

O que faz uma forminga em cima de um microondas?
- Surf

No outro dia, em Mogadouro, houve uma trovoada tão grande, mas tão grande que em vez de cairem raios caíram diâmetros....

pk é k ha trampolins no pólo norte?
- Pro urso polar

Duas portas a conversa:
- Opa, queres ir dar uma volta?
e a outra:
- Não posso pá, tenho uma perna partida!
ao que a outra responde:
- Olha, e eu imPORTAda...

Vira-se uma bateria para uma Guitarra:
-Opá, queres ir fazer escalada logo a tarde ?
e a Guitarra:
-Opá, não posso, não tenho cordas...

Numa conversa entre duas galinhas:
diz uma:
- épa, acho que tive febre durante a noite.
e a outra:
- oh, porque?
e a outra responde:
- porque pus um ovo cozido.

segunda-feira, 10 de novembro de 2008

In a manner of speaking....



Saudades....
Dúvidas...
Medos...
Decisões...
Caminhos....

"
So in a manner of speaking
I just want to say
That like you I should find a way
To tell you everything
By saying nothing
Oh give me the words
Give me the words
That tell me nothing
Oh give me the words
Give me the words
Give me the words
Give me the words
Give me the words "

in a manner of speaking - nouvelle vague

quinta-feira, 10 de julho de 2008

Segundinhos de tortura XI


Um menino diz à mãe:
- Mamã, vou sair!
- Ok, filho! Vai com Deus!
O miúdo vai a descer as escadas, tropeça e cai. Então levanta-se, vira-se para trás e diz, frustrado:
- Tu podes vir comigo, mas escusas de me empurrar!!

Sabem o que é um ponto branco numa esquina?!
-Uma aspirina prostituta

Tavam 2 vacas a passear na rua, e diz um amendoim:
-Acho k tou na anedota errada...

O k sao varios pontos espalhados num pinhal?
Sao ervilhas a jogar as escondidas!

Sabeo o k eh um fulo?
-É um bulakinho na palede!

O k é uma pinta roxa no fundo de uma piscina?
-É uma ervilha sem ar...

Uma vaca vira-se para outra e diz:
-Ai tenho tanto medo de apanhar a doença das vacas loucas!
E a outra reponde:
-Ai eu não... sou um sapo!!!

Como se faz uma omelete de chocolate ?
Com ovos de páscoa!!!

Como se chama o "Bob O construtor", desempregado?
-Bob

quinta-feira, 3 de julho de 2008

Ética e Deontologia Profissional

O estudo para EDP (Ética e Deontologia Profissional) vai, como podem confirmar pelo vídeo, muito animado!!! A cabeça já não dá para mais e a Bininha desenvolveu um novo método de estudo....



video

sexta-feira, 13 de junho de 2008

Reportagem TV

Acabei esta semana mais um trabalho...a Reportagem de TV. :)




Por: Adriano Cerqueira e Ana Pinto

sexta-feira, 6 de junho de 2008

Anjos Urbanos - Urbe

Sei que tenho estado completamente desligada do blog (coitadinho!!!!), mas documentários, narrativas multimédia e etcs têm ocupado o meu tempo!
Recentemente, a turma 1 do 2º ano esteve a preparar um fantástico programa de tv: Urbe. Baseado no conceito da Arte Urbana, o programa incluía diversas reportagens sobre o tema. Aqui fica uma delas ;)

quinta-feira, 31 de janeiro de 2008

Mafamude! ah, ah, ah

Ricardo Araújo Pereira, argumentista das Produções Fictícias, foi co-autor de Herman 98 e Herman 99, entre outros.Por volta de 2003 depois das primeiras aparições na televisão, interpretanto, com Zé Diogo Quintela, várias rubricas no programa O Perfeito Anormal na SIC Radical, dá arranque ao projecto Gato Fedorento, cujo colectivo viria a tornar-se uma referência do humor português, com o programa Gato Fedorento (Série Fonseca, Série Meireles e Série Barbosa) ou, já na RTP1 a Série Lopes da Silva e o recente Diz Que é Uma Espécie de Magazine.

As personagens de Ricardo Araújo Pereira, que encontram eco na actualidade política, desportiva ou social, destacam-se pelos tiques que «saltam» para a rua e são absorvidos em regime multi-geracional, alimentando campanhas publicitárias de sucesso.

Este é o seu mais recente vídeo no projecto "Os Incorrigiveis" onde, semanalmente, faz "comentários sobre coisas, com humorismo". Desta feita, Ricardo Araújo Pereira mostra como às vezes é mesmo difícil socorrer pessoas.


sábado, 26 de janeiro de 2008

Segundinhos de Tortura X


Os exames (e noitadas) têm ocupado a maior parte do meu tempo. É com muita alegria que regresso aos segundinhos de tortura...xD

um homem e uma mulher, ambos sem braços decidiram casar e ter um filho...
como se chama o filme?
- "ninguem segura este bebe"



numa cidade havia muitas motos yamaha e 2 hondas.
como se chama o filme?
- "poca Hondas" (esta é pa ti, Filipe)!!!

Era uma mulher tão feia, tão feia, tão feia... que quando chupava um limão, era o limão que fazia caretas!

Duas formigas encontram-se num sushi-bar...
Conversa:
- Olá! Como é que te chamas?
- Fu.
- Fu quê?
- Fumiga. E tu?
- Ota.
- Ota quê?
- Ota Fumiga!

O que é um pato muito rápido?
R.: É um patim...

E qual a única forma de o parar?
R.: Com uma patada...

Mas este pato não parou por causa da falta de vista... tinha pataratas!

quarta-feira, 2 de janeiro de 2008

Memórias

O Gato Fedorento despediu-se dos ecrãs com o Diz que é uma espécie de reveillon. Foi um adeus em grande, em directo de um Pavilhão Atlântico cheio. A ideia de "celebrar" a passagem de ano de 1984 para 1985 foi no mínimo inovadora.
Ao palco do Pavilhão Atlântico subiram nomes da música portuguesa dos anos 80 como As Doce, Trabalhadores do Comércio, Jáfumega, Rádio Macau, Da VInci e os Clã. O único nome internacional foi Sabrina, que interpretou o seu conhecido Boys Boys Boys.
Apesar de ter gostado imenso de ver As Doce, o meu momento preferido foi a actuação dos Clã, que nos inundaram com as memórias de infância. Interpretaram um medley de músicas infantis que incluiram Dartacão, Abelha Maia, Heidi, Vicky... Soube bem!!!